quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

BOLÍVIA – Cultura e tradições


Festas e danças compõem a cultura de um povo guerreiro
Diovana Miziara

Fatos recentes da história da Bolívia, pipocaram na mídia dos diversos países, nas últimas semanas. As notícias dando conta de uma revolta social, liderada pelos camponeses, denominada de “guerra do gás”, fez com que milhares de pessoas voltassem seus olhares para o país.
 

A revolta foi uma tentativa do povo boliviano, o mais pobre de toda América do Sul, de evitar que o presidente Sánchez de Lozada, comercializasse gás natural para os Estados Unidos, de forma que a Bolívia saísse prejudicada nesta negociação.
Nas semanas de protesto, dezenas de pessoas foram mortas, e a revolta de milhares de bolivianos culminou na renúncia do ex-presidente Sánchez de Lozada.


Mas não são somente as manifestações sociais que fazem parte da vida do povo boliviano. Falantes do Castelhano, mas com idiomas como o Guarani, Quéchua e Aymara reconhecidos, a Bolívia é um país pluri-cultural e multi-étnico, e é por este motivo que as ma-ni-festações folcló-ricas são tão impor-tantes na definição da identidade desta nação, que abriga di-versos povos em sua maioria índios (60%), mestiços (30%) e brancos (10%), descen-den-tes quase todos de espanhóis.
 
Os bolivianos têm como capital do país a cidade de Sucre, mas a sede do governo fica em La Paz, onde encontramos o poder exe-cutivo, formado pelo presidente da república Carlos Mesa e do poder legislativo.

A religião oficial é o catolicismo, com 90% dos adeptos. Mas assim como no Brasil, outras religiões também são respeitadas, como o protestantismo e o judaísmo.

A vida econômica da Bolívia apóia-se em atividades agropecuárias de subsistência e na exploração de recursos minerais. O petróleo e o gás natural ocupam lugar de crescente importância na economia boliviana, fazendo parte também da exportação deste país.

Destaca-se também, pelo cultivo da planta de coca, com usos nas culturas ancestrais, servindo ainda como matéria-prima para a produção de cocaína.
 
As manifestações folclóricas são de origem espanhola e indígena; e é comum o uso de instrumentos pré-colombianos, como o sico (flauta- de- pã), a quena (flauta de bambu), a caja ou bombo (tambores). Concorridas procissões e festas religiosas celebram as principais datas religiosas.